VAMPS LIVE 2015 LATIN AMERICA TOUR em São Paulo

live report - 12.10.2015 12:56

Em seu primeiro show no Brasil, a dupla formada por HYDE (L'Arc~en~Ciel) e K.A.Z (Oblivion Dust) realizou uma apresentação energética frente a fãs animados.

Desde a criação da dupla de HYDE (L'Arc~en~Ciel) e K.A.Z (Oblivion Dust), o público brasileiro esperava esperançosamente pela vinda do VAMPS. Em julho de 2015 o tão esperado anúncio finalmente aconteceu: a dupla se apresentaria em São Paulo como parte da turnê VAMPS LIVE 2015 LATIN AMERICA TOUR, que também levou os músicos pela segunda vez ao Chile e pela primeira vez à Argentina e México. Quando o dia que os fãs tanto ansiavam finalmente chegou, 27 de setembro de 2015, era possível sentir a pulsação da animação que emanava dos cerca de 600 fãs que, apesar de não terem lotado por completo a casa de show Cine Joia, na região central da cidade, certamente compensaram com energia de sobra.

Poucos minutos após as 20h, as luzes do palco se apagaram e, ao som de BITE, os membros da banda suporte, composta por Jin nos teclados, Arimatsu na bateria e Ju-ken no baixo entraram no palco, seguidos por K.A.Z e, finalmente, HYDE, sob o som dos gritos e aplausos dos fãs emocionados. Sem perder tempo, a banda se jogou em WORLD'S END. Tocando sua guitarra, HYDE soltou um grito, que foi logo acompanhado pelos fãs, que balançavam bexigas vermelhas. O vocalista balançava os quadris enquanto Ju-ken tocava seu baixo na ponta do palco, incitando os fãs mais próximos. K.A.Z dava pulos energéticos em cima da caixa de som. HYDE abria os braços, convidando os fãs a cantarem ainda mais alto com ele. Logo ao fim da canção, o Cine Joia explodiu em gritos. Sem demora, o vocalista descartou sua guitarra e LIPS teve início. Ao som dos riffs pesados de K.A.Z, HYDE andava em círculos no palco, sua voz variando entre ameaçadora nos versos e energética durante os refrãos. A próxima canção foi LIVE WIRE, um cover da música lançada em 1981 por Mötley Crüe. Sob as luzes vermelhas e azuis, HYDE se esgueirava na ponta do palco, sua voz soando áspera, esganiçada e, acima de tudo, incrivelmente potente. Antes do fim da canção, a banda parou a música e deixou as ovações dos fãs encherem o espaço. HYDE abriu os braços para os fãs, ajoelhado em cima da caixa de som. "Are you fucking ready!?", ele gritou, incitando mais gritos e dando a deixa para que a música continuasse.

Após o início cheio de euforia, foi o momento de HYDE dirigir-se à plateia brasileira pela primeira vez. Da beira central do palco, ele gritou, com a introdução da próxima canção já ao fundo: "Vocês queriam me ver? Vamos nos divertir! Vamos nos divertir!", após o curto MC, a plateia e a banda embarcaram na sequência de tirar o fôlego de REPLAY e GET AWAY, faixas energéticas do álbum BLOODSUCKERS que fizeram com que todos pulassem, inclusive a banda. HYDE ora andava em círculos, ora se aproximava da beira do palco, provocando os fãs. Ele dançava e balança os quadris, arrancando gritos das meninas da plateia com seus movimentos sensuais, além de mandar lambidas no ar em diversas direções. K.A.Z parecia extremamente focado em sua guitarra, curtindo a música e ocasionalmente interagindo com os fãs mais próximos, chutando as bexigas que caíam no palco. Dos membros da banda suporte, Ju-ken parecia ser o mais animado. O baixista pareceu se divertir muito com os fãs brasileiros e o sentimento certamente foi recíproco.

Continuando com a sequência de músicas do álbum mais recente da dupla vampiresca, a banda tocou as obscuras DAMNED e EVIL, onde HYDE mostrou um lado definitivamente diferente de seu vocal para os fãs de L'Arc~en~Ciel presentes. Com ambas as mãos no pedestal do microfone, o vocalista gritava os refrãos com um ímpeto que deixou todos boquiabertos. As luzes se apagaram e, enquanto HYDE recuperava seu fôlego e tomava água ao lado da bateria, Ju-ken provocava e brincava com os fãs, tanto da pista, quanto do camarote. Logo, ele acenou para que todos prestassem atenção no belo solo de piano que Jin tocou como a introdução da primeira das duas baladas da noite: VAMPIRE'S LOVE. De início, com o palco banhado em azul, o foco dos holofotes eram K.A.Z, sentado na caixa de som produzindo belos riffs, e HYDE, que cantava ao seu lado de forma suave e melódica. O público se balançava de um lado para o outro, cantando junto. Durante um refrão explosivo, o guitarrista ajoelhou-se no chão, produzindo um solo de tirar o fôlego, enquanto o vocalista liberava toda a potência de sua voz. A canção se encerrou suavemente, sob os aplausos dos fãs encantados.

Porém, o VAMPS não estava lá para suavidade. A próxima canção foi ZERO, mais uma faixa energética que fez todos deixarem o chão por vários segundos. HYDE dançava com os acordes animados e os sons do sintetizador que compõe a canção, brincando com os fãs nas pontas do palco. Após isso, era hora de HYDE demonstrar que adquiriu certa habilidade no idioma local: "Nós somos VAMPS!", o vocalista disse em português, fazendo um V com a mão esquerda e arrancando gritos da plateia, enquanto Ju-ken observava os fãs com um sorriso e interagia com os que estavam mais próximos, jogando palhetas. Após alguns segundos conferindo sua cola próxima à caixa de som, o vocalista perguntou: "Vocês estão se divertindo?" e, depois de receber uma resposta positiva dos fãs, emendou: "Eu também!". Sorrindo, ele direcionou outra pergunta aos fãs brasileiros: "Vocês queriam me ver? Quanto?" e, alternando entre mostrar os dedos juntos representando pouco e mostrar os braços abertos representando muito, avaliou, aos risos, a resposta enlouquecida (e positiva) da plateia. Em seguida, apontando com as duas mãos para todos os presentes ali, ele declarou: "Vocês são lindos!", arrancando gritos ainda mais altos dos fãs. Abaixando diante de sua cola para vê-la melhor, ele continuou, em português: "Posso levar vocês comigo? Vou levar a pessoa mais animada!" e deu um soco no ar com a resposta ensurdecedora que ele recebeu da plateia. "Vamos nos divertir! Are you fucking ready?".

Essa foi a deixa para uma das músicas favoritas dos fãs, ANGEL TRIP. Uma faixa divertida que fez todos pularem e girarem os braços e os restantes das bexigas no ar. Todos os membros da banda pareciam se divertir muito com a animação da plateia brasileira. HYDE parecia não querer desgrudar dos fãs, frequentemente brincando com os que estavam mais próximos ao palco. Quando a canção parou próxima ao fim, os fãs pareciam eufóricos. O vocalista, com a guitarra nas mãos, tentou acalmá-los, colocando o dedo indicador em frente aos próprios lábios e fazendo "sssh" no microfone, mas foi impossível. Usando a estratégia do "se não conseguir vencê-los, junta-se a eles", HYDE deu um pulo e um soco no ar, arrancando mais uma resposta animada de todos. "Vamos fugir da festa", ele propôs, "nós dois!" e a canção continuou a todo vapor. Sons eletrônicos encheram a casa de show enquanto HYDE derramava uma garrafa de água nos fãs e Ju-ken pulava na ponta do palco, acompanhando os fãs. "Come on, baby! Yeah!" o vocalista gritava aos fãs animadíssimos. "Vamos nos divertir! Vamos nos divertir!". "Wow, wow!" HYDE gritava, e apontava para que a plateia fizesse o mesmo. K.A.Z chutava as bexigas do palco, curtindo a animação dos fãs. Uma introdução entusiasmada para uma canção incrivelmente vibrante, e outra favorita dos fãs, TROUBLE, cover da dupla dos anos 90 Shampoo. O ritmo animado fez todos pularem sem parar. Ju-ken brincava com as bexigas no chão do palco, enquanto HYDE se agacha nos cantos do mesmo, deixando que os fãs o tocassem. Após o segundo refrão, o vocalista se deitou na beira do palco. "Come on, Brazil! Let's sing together! Scream, Brazil!", ele pediu, e os fãs cederam, cantando a ponte da canção em alto e bom som. "Great, Brazil! Let's jump together! Are you ready? Go!" e novamente atendendo aos pedidos do vocalista, o Cine Joia inteiro pareceu pular com as mãos para o ar ao som das sirenes da canção.

"Hey, Brazil. Are you all bloodsuckers?" Luzes vermelhas cobriram o palco. "Are you all-?" HYDE começava, e a plateia completava: "Bloodsuckers!" A próxima canção foi a pesada e de ritmo marcado BLOODSUCKERS, onde tanto o vocalista, quanto os fãs gritavam com toda a força de seus pulmões. Por se tratar de uma faixa curta, ela foi repetida três vezes, enlouquecendo os fãs. Ao fim da última repetição, até mesmo HYDE parecia um tanto fora de si, girando tanto no palco ao ponto de cair. Parecendo um pouco envergonhado, mas rindo mesmo assim, ele se levantou e, durante a transição de BLOODSUCKERS para MIDNIGHT CELEBRATION, deitou-se por largos segundos em cima da caixa de som central do palco. A casa de show era tão intimista que os fãs sortudos mais próximos puderam tocar livremente em sua mão, enquanto ele parecia recuperar o fôlego. MIDNIGHT CELEBRATION foi um dos pontos altos do show. A canção, lançada originalmente por HYDE em 2003 em seu álbum solo 666, contou com um vocal rasgado e profundo, além de um clima pesado e ameaçador, e até mesmo um pouco sensual. Essa canção mais antiga certamente foi um presente para os fãs de longa data do cantor.

Ao fim da canção arrebatadora, a banda desceu as escadas do Cine Joia, encerrando a primeira parte do show. A plateia, por outro lado, não estava disposta a descansar ainda e não demorou para que coros começassem a se formar. Um dos coros foi "Hydeeva!", apelido carinhoso e engraçado que os fãs brasileiros de L'Arc~en~Ciel deram ao vocalista, e que também causou certa confusão quanto ao seu significado por parte de fãs de outros países presentes na plateia. A próxima música da setlist, REVOLUTION II, não teve o seu pontapé inicial dado pela banda, mas sim pelos fãs, que começaram a gritar o refrão cativante da canção: "BANG ON STOM EVERYBODY!" antes mesmo que os membros do VAMPS houvessem voltado ao palco. Ao subir no palco, Ju-ken estava com uma bandeira do Peru, presente dado por um grupo de fãs que viajou do país que, infelizmente, não recebeu a banda durante a turnê. Enquanto o baixista jogava a bandeira de volta ao público e incitava a animação de todos, HYDE cantava o refrão sem microfone, sua voz se juntando à de centenas de fãs brasileiros. O clima dentro da casa de show era de pura diversão e energia. Os fãs e os membros pulavam sem parar, praticamente gritando a letra em inglês sem perder o fôlego ou o ritmo por nenhum momento. HYDE girava no palco e acompanhava os pulos dos fãs, sua voz sempre potente e energética.

Prendendo uma munhequeira de rebite nas mangas de sua blusa bufante, HYDE observava, com um sorriso no rosto, os fãs que gritavam seu nome incessantemente. Parecendo maravilhado com a resposta do público, ele disse novamente em português: "Muito obrigado!", recebendo mais uma ovação em retorno. "Sugoi! Fucking great!" A resposta então foi tão alta que o vocalista do VAMPS colocou as mãos em torno dos ouvidos e gesticulou para a plateia: "Loud!" Enquanto os fãs gritavam ainda mais, HYDE voltou a conferir sua cola próxima à caixa de som: "Já está quase acabando". A plateia soou triste. "Vocês se divertiram?" E então, novamente por meio de gestos, perguntou se muito ou pouco e sorriu ao ver os fãs de braços bem abertos. "You are so cute!" HYDE levou alguns segundos para ler a próxima cola e declarou: "Vocês irão me ver de novo!" O Cine Joia novamente se encheu com os gritos da plateia e HYDE mandou beijos em todas as direções, fazendo todos os seus fãs se sentirem amados. "Muito obrigado! SWEET DREAMS".

As luzes se apagaram e os acordes da lindíssima balada preencheram os ouvidos da plateia emocionada. Banhado por uma suave luz azul, HYDE deixava lindas e intensas notas escaparem de sua garganta, e os fãs o acompanhavam. Havia olhos repletos de lágrimas por todos os lados – era um doce sonho sendo realizado. O vocalista, vestido com uma calça preta e uma camisa longa e bufante, além de uma pintura no torso desnudo e um lenço arco-íris na cintura, corria os olhos pelos fãs de todos os lados. Antes mesmo das últimas notas do teclado de Jin desaparecerem no ar, HYDE, acompanhado pela plateia, bateu palmas. Naquele momento ficou claro que tanto os fãs, quanto os músicos, lembrariam daquele show para sempre.

Como é de costume nos shows do VAMPS, ele se encerrou com duas canções pesadas e extremamente energéticas: DEVIL SIDE e SEX BLOOD ROCK 'N' ROLL. Os fãs pulavam, mostrando que mesmo depois de 15 canções eles ainda possuíam energia para mais, assim como a banda, que mostrava animação por todos os lados. HYDE erguia o pedestal de seu microfone contendo uma bandeira com o logo do VAMPS e a balançava por cima da cabeça dos fãs. K.A.Z girava sua guitarra em torno do torso, arrancando exclamações da plateia. Após os últimos acordes de SEX BLOOD ROCK 'N' ROLL desaparecerem no ar, ninguém na casa de show parecia disposto a deixar o VAMPS ir. Sob ovações, todos os membros deixaram o palco, enquanto HYDE mandava beijos para os fãs e agradecia, tanto em inglês, quanto em japonês. Ao chegar às escadas, o vocalista retrocedeu alguns passos e voltou ao microfone que ele já havia descartado no pedestal próximo à bateria. Após forçar a memória por alguns segundos, ele dirigiu as suas últimas palavras da noite aos seus fãs brasileiros: "Eu amo o Brasil!" e, por fim, deixou o palco do Cine Joia, deixando todos com saudades e esperando que a dupla retorne para mais um show eletrizante.


Setlist:

SE: BITE
1. WORLD'S END
2. LIPS
3. LIVE WIRE
4. REPLAY
5. GET AWAY
6. DAMNED
7. EVIL
8. VAMPIRE'S LOVE
9. ZERO
10. ANGEL TRIP
11. TROUBLE
12. BLOODSUCKERS
13. MIDNIGHT CELEBRATION
14. REVOLUTION II
15. SWEET DREAMS
16. DEVIL SIDE
17. SEX BLOOD ROCK 'N' ROLL
artistas relacionados
concertos e eventos relacionados
VAMPS 27/09

VAMPS
Sao Paolo - Brazil
Cine Jóia
comentários
blog comments powered by Disqus
temas relacionados

J-Music no Brasil

galeria relacionada
propagandas
  • Radio AniMiX