MIYAVI em São Paulo

live report - 08.06.2018 21:01

O guitarrista voltou ao Brasil após 7 anos para um show em São Paulo.

Após 7 anos de espera e completando 10 anos desde a sua primeira apresentação no país, o guitarrista samurai MIYAVI retornou ao Brasil para o primeiro show da parte latino-americana da turnê MIYAVI "DAY 2" World Tour 2018, que tem como objetivo promover o álbum Samurai Sessions vol. 2. O show ocorreu no dia 26 de maio no Carioca Club, em São Paulo e muitos fãs não puderam estar presentes devido às complicações nos meios de transporte por causa da greve, mas o artista teve uma recepção calorosa daqueles que conseguiram comparecer. O cantor esbanjou seu carisma, cumprimentando e apertando as mãos de pessoas que já estavam na fila ao chegar ao local da apresentação.

O show teve o início embalado pelo grito dos fãs. Uma fina cortina de fumaça iluminada por uma luz azul tomou conta do palco e a banda entrou em cena. Em seguida, MIYAVI puxou com a guitarra a agitada Flashback, faixa de abertura do anime "Kokkoku".

Quando o ínicio da segunda música, Dancing With My Fingers, começou a tocar, o guitarrista acenou com os braços e fez sinal para a plateia pular. O ritmo contagiante da música foi acompanhado pelos backing vocals Seann Bowe e Heather Ogilvy. Ambos dançavam em sintonia e, durante o refrão, puxaram o ritmo batendo palmas junto aos fãs.

As duas músicas seguintes foram colaborações lançadas com a participação de Seann: So On It e In Crowd. Contagiado pela adrenalina dos fãs, MIYAVI correu e dançou pelo palco, causando gritos sempre que chegava mais próximo à platéia. Seann assumiu o vocal principal em Bumps in the Night, que se encerrou com um bate-cabeça leve e um cumprimento entre ele e MIYAVI.

A primeira parte do show finalizou com Dim It, faixa do álbum Firebird. Com um ritmo mais lento, os fãs puderam apreciar o vocal de Heather. O guitarrista exibiu seu charme entre as interações e flertes com a cantora, e realizou um espetacular solo de guitarra que levou os fãs à loucura. Exausto, MIYAVI se jogou de costas no palco e aproveitou os poucos segundos de pausa antes do primeiro MC da noite.

Em inglês, o guitarrista perguntou se o público estava se divertindo e arriscou um pouco de português para continuar: “Oi Brasil, boa noite. Obrigado por me acompanhar esta noite. Muito tempo sem vocês… sete anos. Estou muito feliz. Eu estou vendo vocês muito felizes, e vocês? Esta noite, vamos curtir. Obrigado”.

MIYAVI aproveitou a oportunidade para apresentar os membros da sua banda: o baterista Bobo, o DJ Jonny Litten e os backing vocals Seann e Heather. Ele agradeceu novamente e disse que estava muito feliz por voltar ao Brasil. Em seguida, comentou que 2018 começou bem e falou seus projetos do começo do ano: a parceria com o 88Rising, o desfile “Autumn Winter 2018-19 Paris Collection” de Yohji Yamamoto, a apresentação na sede das Nações Unidas em Nova Iorque, a visita aos refugiados em Bangladesh como embaixador da boa vontade da UNHCR, as gravações para os filmes “Gangoose” e “Bleach”, e os singles e EPs lançados.

Foi falado também que o retorno ao Brasil não estava nos planos iniciais por causa da falta de apoio local, mas que, após uma avaliação neste ano, os fãs tornaram o show possível. MIYAVI expressou estar muito orgulhoso e finalizou o MC dizendo: “Esta noite... celebração, reencontro! Obrigado pela força e aproveitem. Vamos fazer desta uma noite muito especial juntos”.

Houve um breve interlúdio com HA!!!!!!!!!!!!!!! e o guitarrista tocou então um cover de Pink Spider, prestando homenagem ao falecido hide (X JAPAN), cuja morte completou 20 anos em maio de 2018. Seguindo, o público pôde apreciar mais solos de guitarra em Selfish Love, que encerrou ao som de assobios e aplausos.

Na segunda pausa para conversa, MIYAVI perguntou se os fãs estavam se divertindo e recebeu um sonoro “sim” como resposta. Não satisfeito, pediu para responderem mais alto. Após a confirmação ele riu travesso e perguntou se os fãs queriam “água”, bebeu um pouco da garrafa e jogou o restante nas pessoas que estavam próximas ao palco.

O guitarrista agradeceu novamente e disse que retornar ao Brasil significa muito para ele. Em seguida, voltou a comentar sobre a sua experiência como embaixador da UNHCR, quando tocou para crianças em um campo de refugiados, da emoção e da inspiração que foi ver a alegria das crianças ao vê-lo tocar. “As crianças são esperança e, quando toquei, percebi: tem algo que podemos fazer através da música". MIYAVI comentou que sua banda era composta por pessoas do Japão e dos EUA, mas que a música os trouxe até o Brasil e os uniu. "Eu sei que o Brasil, o Japão, e todos os países têm problemas, mas vamos provar que podemos nos unir através da música”.

MIYAVI anunciou The Others em meio a aplausos e, com uma platéia emocionada, incentivou os fãs a puxar o ritmo com palmas. Houve um coro uníssono durante o refrão. Ao introduzir a música seguinte, Long Nights, ele falou sobre a experiência de ter gravado com Sonita, uma rapper refugiada do Afeganistão, e disse: "Enquanto soubermos que haverá amanhã, conseguimos sobreviver às noites longas“.

Em Firebird, a introdução terminou com: “enquanto acreditarmos em sonhos, podemos voar de novo e de novo”. O guitarrista fez o público pular para acompanhar o ritmo e andou pelo palco para interagir com os fãs de todos os setores enquanto tocava. As músicas seguintes foram Epic Swing e Day 1.

Confirmando o fato de que o show seria marcado por uma alta dose de adrenalina do início ao fim, Day 1 foi uma das músicas com a maior interação entre os artistas e o público. MIYAVI começou perguntando se os fãs podiam pular ainda mais alto naquela noite, recebendo uma afirmativa sonora. Após puxar palmas em diversos trechos, Seann pediu que todos se abaixassem no refrão e fez uma contagem regressiva de 3 segundos para todos pularem e tirarem os pés do chão ao mesmo tempo. A empolgação se estendeu em Strong e Horizon, última faixa do setlist principal, e o público cantou a música inteira.

Os integrantes deixaram o palco e houve um breve silêncio, mas não tardou até que a casa de show estivesse ecoando os gritos de “MIYAVI” e “encore”. O guitarrista retorno ao palco vestindo uma camiseta da seleção brasileira de futebol, escrita nas costas Ishihara e os números 382, e gravou o vídeo que foi posteriormente postado em seu Instagram oficial.

Enquanto a equipe preparava os equipamentos para o encore, MIYAVI agradeceu a todos por chamarem seu nome e perguntou se estavam se divertindo. Ele esticou a camiseta e perguntou: “Muito legal? Tão legal quanto o Neymar?”, rindo ao receber uma afirmativa e ao ouvir alguém falar “muito mais”.

O guitarrista agradeceu novamente e repetiu que o show apenas foi possível graças aos fãs, dizendo que estava muito feliz em retornar ao Brasil. Continuou dizendo que assim como o futebol, a música une as pessoas e as torna próximas como agora. Disse estar muito feliz e se sentir sortudo por poder compartilhar bons momentos com todos. Lembrou da primeira vez que esteve no Brasil e ganhou a camiseta da seleção. "Eu tinha um cabelo bem comprido. Já faz algum tempo, mas seguimos em direção ao futuro. Eu tive bons momentos nessa turnê graças a vocês e aos membros da banda” ele disse sorrindo.

MIYAVI chamou os todos de volta ao palco. Ao falar sobre o baterista Bobo, disse que estão tocando juntos há mais de 8 anos e comentou que estiveram no Brasil para participar em do festival SWU. Brincalhão, disse que Bobo nasceu em terras brasileiras e que falaria algumas palavras em português por ser uma data especial. As palavras escolhidas foram “churrasco”, “estou com fome” e “muito obrigado”, o que resultou em uma sequência de risadas. MIYAVI elogiou o talento do DJ Jonny, assim como dos cantores Seann e Heather.

A última conversa da noite acabou com o guitarrista dizendo: “Eu sei que muitos não puderam vir hoje e que muitos de vocês tem me apoiado há um bom tempo. Sei que às vezes MIYAVI deixa de fazer algo que vocês queiram, mas é minha responsabilidade continuar me desafiando para que eu possa levar vocês para um novo futuro, uma nova visão, um novo som, uma nova experiência. Obrigado por me acompanhar. Nesta noite, nós dedicamos esta música à vocês. Muito obrigado. Obrigado pelo apoio, pelo amor e pela força”.

Para a felicidade de seus fãs mais antigos, a música escolhida foi Kimi Ni Negai Wo. Todos tinham a letra na ponta da língua (e lágrimas nos olhos), o que colocou um sorriso no rosto de MIYAVI. Na emoção, o guitarrista retribuiu os gritos da platéia e disse “obrigado” e “amo vocês”.

As músicas seguintes foram Neo Visualizm e What a Wonderful World. Seann e Heather tiveram destaque novamente em Real?. Para fechar com chave de ouro, a música escolhida para o encerramento foi What’s My Name?.

MIYAVI e sua equipe se reuniu na frente do palco para receber os aplausos e tirar a foto oficial com a bandeira e o público. Antes de sair pela última vez, o guitarrista correu pelo palco para apertar a mão dos fãs que estavam ao seu alcance e pegou alguns presentes e cartas que lhe foram estendidos.

O show se encerrou com um gosto de nostalgia para aqueles que já haviam visto MIYAVI em suas últimas passagens pelo Brasil e deslumbrou aqueles que presenciaram o talento do guitarrista ao vivo pela primeira vez. Com mais uma memória inesquecível para os fãs brasileiros e para o artista, resta a espera do próximo retorno.

Setlist:
1. Flashback
2. Dancing With My Fingers
3. So On It
4. In Crowd
5. Bumps in the Night
6. Dim It
- MC -
7. Ha!!!!!!!!!!!!!!!
8. Pink Spider
9. Selfish Love
- MC -
10. The Others
11. Long Nights
12. Fire Bird
13. Epic Swing
14. Day 1
15. Strong
16. Horizon

Encore:
17. Kimi Ni Negai Wo
18. Sakihokoru Hana no Yo ni - Neo Visualizm
19. Subarashiki ka na - What a Wonderful World
20. Real?
21. What’s My Name 2017
artistas relacionados
concertos e eventos relacionados
MIYAVI 26/05

MIYAVI
Sao Paulo - Brazil
Carioca Club
comentários
blog comments powered by Disqus
galeria relacionada
propagandas
  • Chaotic Harmony
  • Radio AniMiX
  • euroWH